Palhetas: Tamanhos e aplicações

Conheça um pouco sobre os variados tipos de palhetas e como utilizar cada um delas.

Uma das maiores dores de cabeça de todo violonista ou guitarrista é perder a palheta, principalmente no meio do solo num show lotado, ou naquele riff com a banda toda. Nessas horas é sempre bom ter uma reserva ou, para quem gosta de um desafio, improvisar um “fingerstyle”!

Hoje existem diversos tipos e espessuras de palhetas, para cada instrumento ou corda. Neste artigo, vamos ver alguns dos mais comuns utilizados no mundo todo.

Palhetas leves (ou finas)

As palhetas leves (0,40 mm – 0,63 mm), como o próprio nome diz, são suaves e produzem um som mais aveludado, indicadas para músicas tranquilas e de fácil execução. São recomendadas para violões com cordas de nylon, acústicos ou eletroacústicos. Contudo, seu tempo de vida útil é mais curto, podendo também quebrar com facilidade dependendo da pegada do músico ou das cordas em que ela está sendo aplicada.

Além da clássica celuloide, há também a opção de nylon, mais recomendada para quem não se preocupa com detalhes e procura uma palheta mais durável e flexível:

Palhetas médias

Seguindo o padrão “meio termo”, as palhetas médias (0.63 mm – 0.85 mm) são indicadas tanto para violões de aço quanto para guitarras. Sua espessura mais resistente garante um bom tempo de utilização e produzem um som mais presente, principalmente no violão de aço. Também podem ser utilizadas com violões de nylon, contudo exigem um pouco mais das cordas, aumentando o risco de quebrá-las precocemente.

Também disponíveis no modelo de Nylon:

Palhetas pesadas (grossas)

Para os metaleiros de plantão, as palhetas grossas (0.85 mm – 1.22 mm) são ideais para riffs e solos. Uma das mais recomendadas para guitarristas é a Jazz III da Dunlop, devido ao seu tamanho menor, que proporciona mais praticidade na execução das músicas, ajudando bastante também com harmônicos. Vale lembrar que, além do metal, elas também são indicadas para as demais vertentes do rock n’ roll, como grunge ou punk.

No violão, palhetas grossas são indicadas para quem utiliza encordoamentos com tensões maiores, como 0.11 ou 0.12. O som produzido possui bom sustain e um ganho incomparável, garantindo sempre o diferencial na qualidade.

Mas por que não incluir também os baixistas? Afinal, muitos usam palheta em suas músicas. Um exemplo é a extra grossa de nylon, em seu formato clássico e corpo com superfície antiderrapante para o contato com os dedos:

Outra adequada é a Dunlop em forma de gota, na cor roxo escuro, que pode ser indicada também aos guitarristas:

Não existe uma regra geral que determina qual tipo de palheta o músico deve usar. É uma questão de gosto pessoal, portanto, varia de acordo com cada pessoa. Contudo, é importante sempre pesquisar informações mais detalhadas antes, a fim de adquirir um produto que atenderá suas necessidades de acordo com seu estilo, quer seja uma palheta, quer seja qualquer outro acessório. Conhecimento nunca é demais!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Curtiu o post? Dê uma mãozinha para nós, compartilhe este brilhante artigo!
Palhetas: Tamanhos e aplicações