A Mais Nova Economia da Música

Quem disse que sobreviver da música, hoje, é tão difícil? Na verdade, não difícil, é diferente. Atualmente a música está sendo totalmente digitalizada, menos os instrumentos musicais.Sax Tenor YTS 62 YAMAHA

Muito se fala da brusca queda de vendas de cds. A digitalização e a mudança da cultura musical, aliadas a crise econômica, tem deixado muitos músicos contando moedinhas. Mas isso não é de hoje, os músicos sempre tiveram dificuldades, elas só mudaram. Nos anos 70, por exemplo, não existia internet, nem celular e pouca gente tinha telefone fixo em casa, só orelhões. O que restava era comprar algumas fichas, pegar sua lista de números de bares, casas de shows e gravadoras, e começar as ligações.

Hoje, as gravadoras, os músicos, e as indústrias de instrumentos musicais descobriram um jeito de aliar-se, e sobreviver em tempos de crise. Grandes fábricas de equipamentos musicais, como Yamaha, Takamine, Tagima, Gibson, Marshall, Fender… têm investido pesado em um novo modelo de marketing. Elas doam instrumentos, ajudam financeiramente, criam inclusive instrumentos e equipamentos especiais, e em troca, grandes músicos e bandas carregam a marca destas empresas estampada em seu equipamento.

YAMAHA – Instrumentos de Sopro

Hoje a Mundomax vai falar especialmente sobre a Yamaha, e músicos que se utilizam de seus instrumentos de sopro.

A Yamaha é hoje uma das maiores potências no mundo da música, com ótimos produtos na linha de instrumentos de percussão, sopro, teclados, violões, guitarras, baixos, som profissional e acessórios. Ou seja, tudo o que uma banda precisa. Gente como Adriana Calcanhoto, Detonautas, Frejat, Zeca Baleiro, César Camargo, Guilherme Arantes, Ivan Lins e muitos outros nomes da música brasileira, carregam em seus instrumentos a marca Yamaha.

O flautista, saxofonista, contra-baixista, guitarrista e pianista Derico Sciotti, é conhecido por ser músico da banda de Jô Soares. Patrocinado pela Yamaha a nove anos, Derico tem o seu set montado com instrumentos de sopro como: YTS 62, YFL 211, YSS 475, YTS 875. “Nesses nove anos de parceria devo muito a Yamaha. Ela é uma empresa de altíssimo nível que tem em seu quadro grandes profissionais”, diz Derico em entrevista ao site da Yamaha.

Sobre os saxofones de Derico, a Mundomax destaca dois deles. O Saxofone Soprano YSS475 YAMAHA e o Saxofone Tenor YTS 62 YAMAHA. Clique e confira.

No final dos anos 90 surgiu um grupo chamado Funk Como Le Gusta, grupo que até hoje reflete a revalorização da black music do Brasil. Ela se tornou notória por tocar funk e clássicos de trilhas dos filmes utilizando uma formação bem maior do que a da maioria das bandas contemporâneas. O Funk Como LE Gusta se utiliza de muitos instrumentos de sopro, todos da Yamaha. Hoje deixaremos exposto o Trombone YSL 640 YAMAHA, um trombone modelo profissional de alta qualidade.

O saxofonista Caio Mesquita, que ficou famoso em 2005 como calouro no programa Raul Gil, recebeu recentemente da Yamaha seu YTS875EX, com o qual gravou o disco Jovem Brazilidade II. Outros instrumentistas de sopro que tem parceria com a Yamaha são Raul de Souza e Walmir Gil.

A Mundomax fornece instrumentos de alta qualidade, e entre eles estão os da Yamaha. Se você, como grandes músicos também gostam da Yamaha, não pode deixar de conferir: www.mundomax.com.br ou clique no link: YAMAHA.

Mais adiante falaremos sobre a Takamine, que é hoje a marca de instrumentos de cordas que mais têm investido neste modelo de marketing.

Artigos relacionados: Yamaha trás Abraham Laboriel de volta ao Brasil e outros.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Curtiu o post? Dê uma mãozinha para nós, compartilhe este brilhante artigo!
A Mais Nova Economia da Música