Caixote, o tecladista do Faustão, e a Roland

Caixote do Faustão

Marcos Ponte, este é o nome de um dos maiores músicos brasileiros da atualidade, mais conhecido como Caixote. Hoje Caixote integra a Banda do Domingão do Faustão, o conjunto é comandado pelo tecladista e diretor musical Luiz Schiavon e conta com a participação de músicos consagrados, como o violonista Nil Bernardes, o baterista Anderson Batista, o baixista Gabriel Jacob e o excelente guitarrista Marcinho Eiras.

Caixote é maestro, instrumentista, tecladista, arranjador, compositor e produtor. Ainda criança começou tocando bateria, mas a mudança para o piano não tardou. Com apenas 10 anos, começou a aprender a arte das teclas com o auxilio de seu pai – o maestro Aluísio Pontes. Aos 12, costumava tocar em bailes com a banda Arco Íris. Depois, tornou-se produtor de uma famosa casa noturna de São Paulo, “O Beco”. E a partir daí, não parou mais. Abaixo um vídeo de Caixote (ainda garoto), tocando com sue pai Aluísio Pontes.

Caixote passou a atuar em projetos de variados estilos, demonstrando toda sua versatilidade musical. Entre os artistas com quem trabalhou, encontram-se Zezé di Camargo e Luciano, Bruno e Marrone, Demônios da Garoa, Originais do Samba, Fafá de Belém e ainda muitos outros.

Roland

Caixote nunca negou a sua a sua admiração aos teclados da Roland. Atualmente, ele conta com cinco teclados Roland para ajudá-lo em suas produções, entre eles estão o Fantom G7 e o Juno-Stage. Projetado para palco, o Juno Stage da ROLAND é um sintetizador que todo o tecladista sonha em ter, seus recursos são todos projetados para músicos que que se apresentam “ao vivo”, desde pequenos palcos aos megas Shows. Já o Roland Fantom G7 é simplesmente o mais completo e poderoso Workstation da ROLAND, além da alta qualidade e realismo de timbre, ele reúne o que de mais avançado existe em tecnologia para teclados.

Veja os teclados de Caixote no site da Mundomax.

Recentemente Caixote deu uma entrevista exclusiva ao site da ROLAND, confira ela abaixo:

De que maneira conheceu os equipamentos Roland?

No fim da década de 1970, costumava ensaiar e gravar em um estúdio chamado Dimensão 5. Eles traziam teclados dos Estados Unidos pagando uma fortuna. Foi nessa época que tive contato com os primeiros Roland, principalmente o Juno e o JX-8P. Esses modelos apresentam um tipo de “sujeira” no som que, por mais que outros imitem, não conseguem superá-los.

Qual a sua opinião sobre os teclados de última geração da Roland?

O sintetizador serve para criar sons, dando um colorido às músicas. E no Brasil, é preciso ter esse tipo de equipamento com qualidade de samplers, já que não contamos com pianos decentes em estúdios. Os modelos Roland me surpreenderam, principalmente o Fantom-G, pois encontro sons maravilhosos de cordas e pianos.

Você usou alguns teclados Roland durante a gravação do último DVD da dupla Edson & Hudson. Como ocorreu esse processo?

Tínhamos um piano acústico e dois sets de teclados Roland: um com RD-700GX, Juno-Stage e VK-8M, para sons de órgãos Hammond, e outro com Fantom-G, V-Synth GT e RD-300GX. Comparando o som, o RD-700GX não ficou devendo em nada para o piano acústico, impressionando-me por seus harmônicos. Durante a apresentação, tocamos tudo ao vivo, sem coisas gravadas. E o resultado ficou muito bom.

Como os teclados Roland influenciam o trabalho da na Banda Domingão?

O Fantom-G7 permite que eu deixe toda a minha programação salva. E como no programa tudo acontece depressa, ele é muito rápido quando estamos nos apresentando, tornando seu uso fácil e prático. O Schiavon, por sua vez, usa um V-Synth GT, que tem um dos sons mais pesados que ouvi. Utilizei esse equipamento para fazer a trilha de um documentário sobre os Emirados Árabes, produzido pela minha esposa, e consegui fazer coisas inéditas, algo que seria impossível em outros synths ou softwares.

Quais são seus próximos projetos?

Continuar na Banda Domingão, já que estamos sintonizados e não tomamos mais sustos com o Fausto (risos). Além disso, tenho um projeto de banda eletrônica, com synths e baterias da Roland, e outro de orquestra. Esse último, porém, ficará mais para frente.

Esta entrevista está disponível no site da ROLAND.

Na Loja Mundomax você encontra uma grande variedade dos teclados da Roland, confira!

Um comentário em “Caixote, o tecladista do Faustão, e a Roland

  • 4/Maio/2010 em 22:44
    Permalink

    Sou amigo de Caixote e quero por favor o e-mail dele.
    Lula

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Curtiu o post? Dê uma mãozinha para nós, compartilhe este brilhante artigo!
Caixote, o tecladista do Faustão, e a Roland