Saiba quais os pratos essenciais para compor uma bateria básica

Apesar da variedade de marcas e modelos de pratos que devem ser usados de acordo com a preferência de cada baterista, existem alguns considerados mais comuns.

Se você acha que a bateria é um instrumento padrão e já montado, você está muito enganado. Composta por diferentes elementos, ela possui uma variedade de opções para agregarem desde uma bateria básica até uma mais profissional e completa. Dentre estes elementos que podem variar bastante estão os pratos.

Qual a função dos pratos na bateria

Qual a função do prato na bateria?

Também chamado de címbalo, é um elemento de percussão, geralmente feito de latão ou bronze – apesar de existirem modelos feitos de ouro ou prata. Os pratos são responsáveis por trazerem algumas características às músicas. Porém, cada tipo de prato possui uma função diferente.

Os modelos mais comuns e básicos para compor uma bateria são: Ataque, Chimbal e Condução. E nós vamos explicar como funciona cada um deles.

Prato de ataque ou crashAtaque ou Crash

A principal função deste prato é, como o próprio nome já diz, a de atacar. Ou seja, você o usa para dar ritmo e um acento mais forte na música, geralmente quando volta de viradas. Normalmente, entre os três pratos principais, ele é o que costuma ter o tamanho médio, porém, podem existir pratos de ataque em tamanhos maiores ou menores.

Apesar de caracterizado pelas acentuações, em casos de músicas mais pesadas, como o rock, ele também acaba sendo utilizado com uma frequência maior na música. Isso quer dizer que, ao invés de usado apenas em situações momentâneas, ele é usado para conduzir e marcar o andamento.

Para quem quer realizar efeitos variados na música, o prato de ataque também é uma ótima opção para criar esse tipo de batida.

Chimbal ou Hi-Hat

Composto por dois pratos, sua principal função, geralmente, é manter o andamento da música, ou seja, fazer a marcação. Além disso, pela utilidade de abrir e fechar os dois pratos através de um pedal, é possível mudar bastante a dinâmica apenas com o chimbal.

Isso ocorre, pois, se você deixar os pratos mais abertos, o som se torna mais longo e mais forte. Se estiverem mais fechados, o som é mais direto e curto. Sendo assim, a dinâmica varia de acordo com a quantidade que eles estão abertos ou fechados entre si.

Prato Chimbal ou Hi-Hat

Prato usado para condução

Condução ou Ride 

Também é um prato que costuma ter a função de manter o pulso e a marcação. Podemos caracterizá-lo como a batida base para a entrada de batidas mais acentuadas.

Quase sempre você irá identifica-lo por ser o maior entre os três pratos comentados neste texto. Com uma grande superfície, ele possibilita variados resultados sonoros. Por esse motivo, também acaba sendo utilizado para acentuar a música por meio de ataques e com um som mais “brilhante”.

Outros pratos

Também temos o Corte (ou Splash) e o Chinês (ou China). O primeiro com um volume baixo e utilizado para acentuações mais leves que as em que se usa o ataque. Já o segundo é usado para a realização de efeitos de destaque. Ele possui um timbre bastante específico.

Além destes, existem vários outros tipos, modelos e marcas de pratos que podem e devem ser usados em baterias. Com o avanço tecnológico, cada vez mais foram produzidos pratos que tenham características específicas para aperfeiçoar a percussão do instrumento.

Preferência varia de acordo com cada baterista

Lembrando também que, apesar destas funções ditas de cada prato, nada é regra. A bateria, por ser um instrumento de percussão, possui uma liberdade maior e permite que o baterista crie ou experimente usar os elementos de diferentes maneiras.

Leia aqui como guardar seus pratos do jeito correto. Também acesse para conhecer e adquirir alguns modelos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Curtiu o post? Dê uma mãozinha para nós, compartilhe este brilhante artigo!
Saiba quais os pratos essenciais para compor uma bateria básica